Dor no joelho pode ser muito mais que isso!

Toda lesão e apresentada ao clínico como uma história infantil, onde o paciente relata o início da dor, o local da dor, o que faz piorar a dor, o que faz aliviar a dor, a quanto tempo tem a dor e todas a características dela. Isso é literalmente o corpo falando. Esse relato é feito pelo paciente para que possa ser interpretada a sua história como uma brincadeira de adivinhação.

O processo de raciocínio clínico como falado anteriormente pode ser comparado a uma “brincadeira“ de adivinhação que precisa ser comprovada com os testes físicos e se necessário com exames complementares que muitas vezes parecem exames definitivos.

Vamos tentar exemplificar: Alguém começa a contar uma história onde existe uma menina que está caminhando na floresta, de roupa vermelha, com um cesto na mão. Qual o nome dessa história? Chapeuzinho Vermelho! Isso mesmo, boa interpretação.

Um paciente começa a falar, tenho uma dor no joelho, já faz 6 meses, não lembro de nenhum trauma ou contusão, essa dor é em todo joelho, sinto dor quando vou fazer alguns exercícios de musculação, quando viajo muito de carro a dor aumenta, até parece uma dor de cabeça, dói o dia inteiro, quando vou caminhar distâncias maiores também incomoda. O joelho nunca ficou inchado, qual é o problema deste paciente? Coluna lombar! Isso mesmo, boa interpretação.

Essa história é de um paciente que chegou para consultar, apresentando um exame complementar ou definitivo de Ressonância magnética mostrando alterações em algumas estruturas do joelho, onde através de um processo de avaliação e testes físicos observamos que a sua dor era uma irradiação da coluna lombar, foi realizado a intervenção obtendo melhoras do sintomas.

O clínico precisa fazer melhor as perguntas, para que possamos extrair as melhores respostas, e entender melhor a causa do problema do paciente.
Alexandre-01.jpeg